Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Família Banif

por NG, em 31.01.13

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:54

Ao que chegamos

por NG, em 30.01.13

O Ernesto, o Paulo, o Zé ou outros, acabamos por não saber quem, discordam do projecto de construção de um museu no centro da cidade de Abrantes, elaborado pelo arquitecto contratado para o efeito.

Estão no seu direito. Nós também não simpatizamos com o que vimos.

Para defender os seus pontos de vista, o Ernesto, o Paulo, o Zé ou outros, acabamos por não saber quem, decidiram que a melhor maneira seria criar um espaço público, um blogue, onde, anonimamente, pudessem escarnecer, vilipendiar, caluniar, caricaturar, zombar, de todas as forças vivas da terra que nalgum momento possam ter manifestado alguma afinidade com tal empreendimento.

É um método. Dos menos dignos de fazer política. Infelizmente comum.

 A sua acção não beneficia a sã convivência de diferenças, o interesse pela participação cívica, nem sequer a causa que defendem. E é pena,  pois já demonstraram, naquele espaço, ter capacidade para fazer coisas úteis à comunidade.        

O Ernesto, o Paulo, o Zé ou outros, acabamos por não saber quem, já devem ter idade suficiente para entender que os fins não justificam os meios.    

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:25

Disse tudo.

por NG, em 30.01.13

"O Estado em 2013 continua a ser o principal causador do insucesso empresarial: criminalização de infracções fiscais menores, pagamento de juros usurarios em caso de imcumprimentos ou atrasos, legislação absurda e avassaladora impossível de gerir numa pequena empresa. O empresário continua a ser um bandido a abater numa sociedade que tende alegremente para o socialismo e onde o Estado é o Alfa e o Ómega de toda a vida empresarial. Continuamos a ter ministros brilhantes no descurso politico-televisivo mas incapazes de ler um balancete. Admiro a coragem dos empreendedores resilientes que são cada vez menos e mais velhos, porque os novos estão a fugir daqui a toda a força. A função do Estado tem de ser revista e corrigida na próxima década se é que queremos continuar a chamar-nos Portugal."

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:08

Admirável Mundo Novo

por NG, em 30.01.13

Os bancos transformam-se em casinos. Os casinos deixam de pagar impostos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:46

Nazaré

por NG, em 29.01.13

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 01:18

Evasão fiscal, dizem eles

por NG, em 28.01.13

Ainda não emigraram todos?

 

"Pois fui uma verdadeira trabalhadora independente durante 12 anos. Há quinze emigrei e depois voltei, mas agora decidi emigrar de novo para outro país onde me dêem valor e não me tirem 78% do meu rendimento (no conjunto de IRS e SS)"

 

-Ó Victor, aperta mais um bocadinho!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:32

EFTA está de regresso

por NG, em 28.01.13

 Cameron lidera a mudança.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:48

Tragam as calculadoras

por NG, em 28.01.13

Para a Comissão, mais bilião menos bilião, é tudo a mesma coisa.  

 

No outro dia, o erro foi maior.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:59

Ouçamos os mestres

por NG, em 27.01.13

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:48

Padre José da Graça

por NG, em 26.01.13

O Cónego José da Graça é o grande impulsionador do projecto

Está a tornar-se moda. No outro dia, aconteceu a Irene Barata, em Vila de Rei. Hoje, foi a vez do Padre José da Graça, em Abrantes.

É sabido que, no mundo, há  uns poucos que tentam fazer e construir e muitos mais que, além de nada de positivo fazerem, tentam destruir o que à sua volta outros constroem.

Será de mais de centenas, mais de  milhares, talvez dezenas de milhar,  o número de pessoas, sobretudo de Abrantes e seus arredores que, de uma forma ou de outra, beneficiaram da atenção e cuidado do Padre José da Graça e viram melhorada a sua condição de vida pela sua acção. Sem que se lhe conheça algum benefício material próprio visível, criou, do nada, uma série de instituições e actividades dirigidas a acolher e aliviar os mais frágeis dos frágeis da comunidade. Ao que se vê, despertou ressabiamentos e invejas.

A táctica é conhecida. Antes que algum juiz decida, lançam-se umas atoardas anónimas cobardes aos jornais para satisfazer vinganças pessoais e condenar sumariamente o acusado no pelourinho, sem grandes possibilidades de defesa.

 Contrariamente a quem o acusou, denunciado pelo medo da frontalidade, não se vislumbra o que o Padre José da Graça tenha a perder com o processo. As populações que tem servido com abnegação, essas sim, podem perder e muito. E a sua divulgação, ainda em segredo de justiça e antes de qualquer condenação deve constituir, para elas, uma afronta.

 Quem lançou cobardemente estas acusações, tal qual aconteceu em Vila de Rei, pretende ver diminuídas pessoas que se desacomodaram das suas rotinas e se expuseram publicamente para tentar, melhor ou pior, defender as suas convicções com acções concretas. No caso, a defesa da dignidade dos mais desprotegidos. Mas não diminuem. Sabendo como as coisas são, estas provações até engrandecem o seu legado. Só seriam ensombradas se aquilo que de raro e único têm feito, em regiões tão pobres e tão carentes de iniciativa, fosse vulgarizado pela abundância de projectos semelhantes daqueles que os criticam.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:55

Pág. 1/2



Nada de especial

Links

Muito importantes

Política

Tontos

Jornais e Revistas

Interessantes

Institucional

Vários

Não concordo mas é bom

Caixote no sotão

Brasil

Vizinhança

Fotografia

Economia de proximidade

Música

Finança

Médio Tejo

Greenwich


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D